• Medzo Consultoria Empresarial Financeira

Capital de giro: o que é, importância e como calcular

O capital de giro é um recurso financeiro que todas as empresas (independente do porte) precisam possuir, uma vez que ele é responsável por permitir a continuidade das atividades do negócio.


Desse modo, é primordial que os gestores empresariais e financeiros estudem a fundo esse conceito, assim como os seus diferentes tipos e como calculá-lo.


Para descobrir todas essas informações, continue lendo esse artigo! Em seguida, esteja preparado para criar o capital de giro da sua empresa e assegurar o desenvolvimento do seu negócio.


Aproveite a leitura!


O que é capital de giro de uma empresa

O capital de giro engloba todos os recursos financeiros necessários para manter a empresa funcionando, mesmo durante momentos de baixa demanda.


Afinal, é possível realizar novos investimentos com esse dinheiro, assim como quitar as obrigações que o negócio já possui, como aluguel, conta de luz e água, salário dos funcionários e demais despesas.


Esse capital pode estar presente no caixa da empresa, em contas a receber, nas contas bancárias ou até mesmo em investimentos de alta liquidez.


MEDZO Consultoria Financeira - O que é e a importância de saber calcular o capital de giro

Tipos de capital de giro


O capital de giro de uma empresa pode ser classificado em quatro tipos diferentes, os quais devem ser conhecidos pelos gestores, de modo a evitar confusões e planejamentos financeiros ineficientes.


São eles:


Capital de giro líquido

O capital de giro líquido consiste em todo recurso financeiro disponível para uso a qualquer momento, ou seja, todos os ativos que podem ser rapidamente convertidos em dinheiro.


Desse modo, não entram nesta lista os ativos não circulantes, como imóveis ou bens pertencentes à empresa, uma vez que são mais difíceis de serem revertidos.


São utilizados para a manutenção e continuidade do negócio justamente os recursos financeiros presentes nessa classificação.


Capital de giro negativo

Como você deve imaginar, quando o capital de giro está negativo significa que a empresa não possui recursos suficientes para pagar todos os débitos em aberto.


De modo geral, essa classificação só se torna perigosa caso perdure por muito tempo, visto que é comum haver baixo capital de giro, sobretudo durante o início do mês ou do próprio negócio.


Contudo, caso a empresa apresente dificuldade de realizar os pagamentos por muito tempo, é primordial reorganizar a gestão financeira do negócio, se não será necessário recorrer a empréstimos.


Capital de giro próprio

Já o capital de giro próprio diz respeito a todos os recursos financeiros pertencentes à empresa, os quais dispensam a necessidade de solicitar empréstimos em instituições financeiras.


Normalmente, ele ocorre quando há saldo positivo de capital, mesmo após o pagamento de todas as despesas.


Esse costuma ser um sinal de que a gestão financeira do seu negócio está indo bem, assim como as vendas propriamente ditas.


Capital de giro associado a investimentos

Nesse modelo de capital de giro, há um resguardo de recursos para investimentos necessários ao crescimento da empresa.


Por exemplo, para financiar a compra de equipamentos novos e que aumentem a produtividade do negócio — e consequentemente as vendas.


O ideal é que todas as empresas possuam esse tipo de capital de giro, afinal, em um dado momento será necessário expandir a produção, adquirir novos equipamentos ou até mesmo repaginar o ambiente de atendimento ao cliente.


E sem esse recurso próprio, você terá de recorrer a empréstimos, que nem sempre são vantajosos à saúde financeira do negócio.


Importância do capital de giro para a gestão financeira

Manter um bom capital de giro é essencial para a gestão financeira da empresa, uma vez que esse recurso impede a inadimplência com suas devidas obrigações financeiras.


Desse modo, a sua empresa terá a garantia que conseguirá pagar os fornecedores e todas as despesas, mesmo em épocas de queda das vendas ou durante crises financeiras, impedindo que o negócio pare de crescer.


Além disso, com um capital de giro estável, será possível disponibilizar aos clientes a modalidade de pagamentos a prazo, sem medo de necessitar do valor com urgência e ter de recorrer a antecipação de recebíveis.


Outra vantagem de possuir esse recurso é poder realizar investimentos (que realmente valem a pena), como compra de materiais que estejam em promoção.


Como calcular o capital de giro


MEDZO Consultoria Financeira - O que é capital de giro de uma empresa

A necessidade de possuir um capital de giro positivo está sobretudo relacionado a saúde financeira da sua empresa, afinal, quanto mais recursos disponíveis o caixa possuir, menor será a necessidade de recorrer a fontes externas.


E o primeiro passo para garantir esse equilíbrio financeiro é calcular o valor mínimo de capital de giro para o seu negócio.


Para isso, existe uma fórmula bem simples:


CG = AC - PC


Onde:

  • AC são os ativos circulantes, ou seja, os recursos líquidos que a empresa possui disponíveis para uso — contas a receber + valor em estoque.

  • PC são os passivos circulantes, que equivalem aos compromissos financeiros da empresa.

Ah! É importante destacar que o valor calculado é equivalente ao capital de giro mensal, portanto, utilize dados referentes ao período de 30 dias.


Inclusive, para uma gestão financeira mais segura, o recomendado é multiplicar esse valor por 6, de modo a obter uma base da quantia monetária necessária para garantir um semestre de atividades.


Dicas de como manter um capital de giro estável


MEDZO Consultoria Financeira - Dicas de como manter um capital de giro estável

Além de calcular o valor mínimo do capital de giro, é preciso também manter alguns cuidados, evitando que esse recurso seja gasto de forma indevida — ou até mesmo perdido.


A primeira dica para evitar esse cenário é cortar gastos desnecessários, ou seja, todas as despesas irrelevantes ao crescimento da empresa, sendo possível manter mais dinheiro em caixa.


Outra maneira de aumentar os recursos financeiros da empresa é saber negociar!


Antes de fechar um contrato com um fornecedor, pesquise opções mais em conta, solicite descontos ou até mesmo proponha formas de pagamento favoráveis a você.


Mas… nada de escolher produtos somente pelo preço, ok? Afinal, a qualidade da matéria-prima e demais equipamentos reflete na qualidade do produto oferecido por sua empresa.


Por fim, a minha última dica é: saiba administrar o capital de giro corretamente.


Ou seja, nada de usar esse dinheiro para cobrir qualquer despesa que surgir pela frente ou simplesmente se arriscar em novos investimentos.


Lembre-se que esse recurso só deve ser utilizado em casos de necessidade, sendo reposto o mais rápido possível — até porque nunca se sabe quando outra crise poderá surgir.


Nota final

Possuir um capital de giro é essencial, sobretudo para as empresas que querem se desenvolver, seja aumentando a produção ou investindo em novos espaços.


E esse recurso financeiro te ajuda a realizar essas e outras ações de forma segura, garantindo o pagamento de todas as despesas, evitando dívidas ou a necessidade de recorrer a fontes externas.


Se você tiver dúvidas de como montar o capital de giro da sua empresa — ou demais problemas de gestão financeira — saiba que você pode contar com a ajuda da Medzo!

Entre em contato com a Medzo Consultoria Financeira e conheça o serviço!


Gostou desse conteúdo? Veja também:

Regimes tributários: descubra o ideal para sua empresa

Capital social: descubra como calcular o seu

Custos variáveis e despesas fixas: conheça as diferenças entre eles


7 visualizações0 comentário