• carolinacardim

5 passos para organizar o dinheiro do seu negócio de forma definitiva

Organizar o dinheiro do negócio deve estar na lista de prioridades de qualquer empreendedor que busque construir uma empresa de sucesso.


Contudo, essa é uma atividade deixada de lado muitas vezes devido a vários motivos, como:

  • Não saber por onde começar;

  • Acreditar ser trabalhoso demais;

  • Ter dificuldade com os cálculos;


Você possui algum desses problemas?


Nesse artigo, vamos ensinar o passo a passo para organizar a gestão financeira do seu empreendimento e evitar a falência. Continue lendo para conferir!


Como organizar o dinheiro do seu negócio em 5 passos simples?

A gestão financeira de uma empresa não é complexa, mas também não é fácil, afinal, é preciso muita disciplina, organização e planejamento e olhar estratégico.


Vamos mostrar como fazer:


1 - Separe os dinheiros

Não tem como começar de outra forma: o primeiro passo para organizar o dinheiro do seu negócio é separar as finanças empresariais das pessoais.


Se você não efetua esse processo, fica difícil entender, por exemplo, se é você ou a empresa que está gastando demais.


Separamos três passos para você fazer esse processo de separação da melhor forma:


1.1 - Conheça os gastos e a receita de cada um

Primeiro, você precisa diferenciar os custos da empresa dos pessoais. Para isso, é interessante listar as despesas referentes a cada um como no exemplo abaixo:

planilha de custos pessoais vs empresariais

Assim, você consegue distinguir quando usar ou não o dinheiro da empresa ou pessoal.


Depois, é preciso separar as receitas, pois nem todo dinheiro que o negócio ganha, é seu e você precisa ter essa noção para saber até quanto é possível tirar do caixa para suprir demandas próprias.


E é aqui que entra a importância do próximo ponto.


1.2 - Defina um pró-labore

O pró-labore será um valor fixo mensal que você receberá por cumprir suas funções na empresa — é como se fosse seu salário.


Assim como um salário, você vai estabelecer um dia fixo no mês para receber e só poderá retirar aquele valor. O resto ficará para a empresa.


Explicamos melhor como definir o pró-labore nesse artigo: Como calcular o pró-labore na pequena e média empresa


1.3 Faça uma conta PJ

Evite deixar o dinheiro pessoal e o da empresa em uma única conta. Escolha criar uma conta bancária de pessoa jurídica, pois assim fica mais fácil de separar.



pessoa organizando o dinheiro do seu negócio

2 - Desenvolva um sistema de controle financeiro

Você precisa encontrar uma maneira de registrar o fluxo financeiro da sua empresa.


Seja com uma planilha, seja com um software de gestão financeira. Enfim, o que importa é desenvolver um sistema de controle financeiro o qual você se adapte da melhor forma.


É importante que haja sempre o registo das entradas e saídas da empresa para ter uma noção para onde o dinheiro está indo.


Nesse controle, você precisa ter três dados ao menos:

  • Entradas: quanto capital entrou na empresa — os ganhos;

  • Saídas: quanto capital saiu da empresa — os gastos;

  • Investimentos: quanto capital foi investido no negócio.


Importante: você precisa manter a disciplina com esse controle.


A cada movimentação financeira na empresa, você deve registrar para evitar inconsistências no balanço final.


3 - Analise os dados

No passo anterior, você colheu os dados, mas eles são apenas números se não forem analisados.


Você precisa adquirir uma visão financeira estratégica.


Por exemplo, por que o valor disponível em caixa está diferente do valor que estava na planilha? Qual foi o motivo para os gastos no mês de maio estarem superiores ao mês de abril?


É importante perceber as alterações ou até mesmo a constância — meu faturamento está o mesmo há cinco meses, por que o negócio não está crescendo?


Nesse sentido, conhecer os principais indicadores de desempenho financeiro do seu negócio é fundamental. Alguns importantes são:

  • Faturamento: a soma de todas as vendas da empresa em um período (anual, trimestral, mensal, etc).

  • Lucratividade: indica quanto a empresa ganhou em relação ao quanto ela recebeu — a porcentagem de lucro após retirar todos os custos envolvidos na operação.

  • Rentabilidade: mede o retorno que um investimento pode trazer no empreendimento — se você investir R$10, quanto volta em forma de lucro?

4 - Defina um orçamento

A partir desse conhecimento obtido através dos dados, você vai definir um orçamento empresarial.


Esse é um planejamento que projeta as receitas e custos do seu negócio em um dado período.


E como fazer essa previsão?


Você vai tomar como base os dados de receitas e despesas dos meses anteriores:

  • Quais foram suas despesas fixas?

  • E as variáveis?

  • Qual foi o faturamento médio do negócio nos últimos meses?


Assim, você consegue estimar e fazer metas financeiras eficientes.


Por exemplo, a média de gastos fixos nos últimos meses foi de R$10.000 e eu quero reduzir 10% em três meses, logo, meu orçamento para gastos fixos será de R$9.000.


Ademais, é importante projetar também os investimentos da empresa e pensar em quanto de dinheiro será investido por mês.


Feito isso, organizar o dinheiro do negócio fica mais fácil!


5 - Crie um plano de negócios

Após determinar o orçamento, chegou o momento de ir para o próximo passo: desenvolver um plano de negócios.


Esse é um documento que contém a descrição dos planos da empresa com um plano de ação para alcançá-los.


No passo anterior, você estabeleceu que quer reduzir 10% dos custos fixos em três meses e agora você listará as ações a serem tomadas para conseguir esse resultado:

  • Negociar com os fornecedores e reduzir 10% do valor das mercadorias;

  • Reduzir 20% dos desperdícios;

  • Diminuir a conta de luz em 20%;


Enfim, você irá traçar a estratégia financeira para alcançar os resultados desejados!


Algumas dicas adicionais

Separamos algumas dicas adicionais que vão te ajudar a organizar o dinheiro do seu negócio:


Crie uma reserva de emergência

Períodos de crises financeiras, como foi o caso da pandemia, e imprevistos podem aparecer a qualquer momento e uma boa empresa precisa estar preparada.


E a reserva de emergência é essencial para isso.


Ela deve equivaler a 6 meses do custo necessário para sua empresa funcionar no mínimo. Portanto, se o negócio custa R$5.000 para ficar aberto durante um mês, sua reserva de emergência deve ser de R$30.000.


Busque reinvestir

Foque em reinvestir no seu negócio e crie uma visão de longo prazo, focando sempre no futuro para colher os melhores resultados.


Estabeleça metas, implemente novas medidas, contrate novos funcionários… Enfim, busque crescer e expandir sua empresa!


Conte com a Medzo Consultoria e administre melhor as finanças

A Medzo Consultoria busca ajudar a organizar o dinheiro de negócios de pequeno e médio porte através de soluções completas e eficientes relacionadas ao:


  • Controle de custos

  • Gerenciamento financeiro

  • Estruturação de departamentos financeiros

  • Tomadas de decisões estratégicas

  • Constante e máximo lucro


Entre em contato com a Medzo Consultoria Financeira e conheça o serviço!


Gostou desse artigo? Confira também:


1 visualização0 comentário